domingo, 4 de setembro de 2016

Falta de amor ao próximo.

Estamos vivendo momentos em que a violência tomou conta do ser humano e a falta de amor ao próximo está dominando,
 , ninguém tem amor ao seu irmão e tira-lhe a vida por motivos banais.

Em tempos remotos era diferente, as pessoas se respeitavam e se amavam mais, hoje ninguém se importa com sua dor e nem com o que acontece em sua vida.É preciso rever esses valores e dar mais amor ás pessoas, na verdade o mundo está em conflito, guerras pra todo lado, globo terrestre está em desequilibrio. 
Com o avanço tecnológico,avançou também a violência entre os seres humanos e passaram a usar a ciência também para se auto-destruir, assim agem os homens bombas,só o amor de Deus para transformar o mundo.
Enquanto isso vamos vivendo e sonhando com um amanhã melhor , um mundo mais tranquilho , onde a paz possa outra vez reinar no coração da humanidade, isto é um sonho,mas pode se tornar real.








4 comentários:

  1. Olá prezada Maria do Carmo, agradecido por ter deixado por lá teu gostar. Sobre este teu texto, eu concordo, nos dias de hoje as pessoas estão mais preocupadas em demonstrar o quanto são poderosas e por conta disso não economizam maldades para com o semelhante, perderam todo o respeito pela vida, não somente do próximo, como dá própria. É isso, passados mais de dois mil anos, as pessoas continuam inocentando culpados e crucificando inocentes, só que, com requintada violência. Boas festas pra você e todos em volta sob a bênção do bondoso e criador Deus, abraços!

    ResponderExcluir
  2. Oi Maria, sou H39, estou por lá agora

    ResponderExcluir
  3. Soneto de Um Rapaz Apaixonado

    Cento e quarenta sílabas poéticas,
    Eu juntei somente para lhe dar
    Rabisquei e uni frases nada estéticas
    Contudo, já receio em lhe mandar

    Ainda não sei se existe um motivo
    Racional ou deveras cabível
    Intuito para que aqui eu ativo
    Sem ter o que dizer fique. Que incrível!

    Agora, que faço eu sem mais palavra?
    Bom seria mesmo se de outra lavra
    Escolhesse eu a obra-prima que fosse

    Lerias certamente com mais calma
    Lendo e sorrindo baterias palma
    Ainda que não, seria mais doce.

    Levy de Abreu

    ResponderExcluir
  4. Ei, Maria. Muito legal tudo que você escreve. Adorei.

    ResponderExcluir